Comece a correr, ou faça qualquer outra atividade física do seu interesse, mas simplesmente comece.

Desde de maio de 2011 comecei a correr por influência da minha mulher e desde então não parei mais. Durante toda minha vida fiz esportes e atividades físicas, mas ainda não tinha descoberto o que as corridas na rua viriam a representar para mim: uma liberdade enorme de simplesmente colocar um par de tênis, uma roupa leve e um ipod com músicas animadas e sair sem um rumo pré-definido.

Entretanto, para chegar neste nível de “Não me preocupo com o tamanho dos morros de BH”, eu tive que fazer um pequeno treinamento gradual no início que me ajudou muito. Tenho certeza que se não tivesse feito desta forma, teria ficado desmotivado no meio do caminho e parado depois do 1º mês de prática.

Entretanto, para chegar neste nível de “Não me preocupo com o tamanho dos morros de BH”, eu tive que fazer um pequeno treinamento gradual.

O que eu fiz foi super simples: corria 2 minutos e em seguida andava 2 minutos. A medida que meu corpo foi se acostumando, de uma semana para outra, eu aumentava 2 minutos na corrida. Comecei com 6 séries e o objetivo inicial era atingir de 24 a 30 minutos de corrida no total, não importando o quanto eu precisasse andar. Com isto, me senti super motivado pois conseguia perceber o aumento gradativo do tempo de corrida e ficava empolgado em superar as metas que eu tinha definido. É claro houve momentos que atrasei minha meta e semanas que eu consegui correr duas vezes ao invés de três. Contudo, eu não estava regredindo e minha resistência estava aumentando.

Um momento decisivo foi quando estava correndo 2 tempos de 15 mins com o intervalo de 2 mins e vi que já poderia pular direto para 30 mins sem interrupção. Percebi que o pior período para mim era de 5 a 12 mins iniciais da atividade enquanto o corpo estava esquentando e minha cabeça ainda não estava completamente entregue ao exercício. Assim, ficava “escutando” a ladainha dos meus pensamentos: “Você não vai conseguir… Acho que já está cansado… Se você desistir hoje, não tem problema… Ixi, acho que você não dormiu direito ontem… Tá vendo, quem mandou beber ontem, acho melhor você deixar essa vida de atleta para outras pessoas”. Então, depois 12 mins, era como uma mágica e o burburinho interno dava lugar a uma tranquilidade e o verdadeiro prazer começava.

Costumo muito falar em sala de aula que temos uma péssima mania de olhar uma pessoa “bem sucedida” (coloquei em aspas pois os critérios do que é ser bem sucedido podem gerar um novo post) e já querer chegar naquele lugar direto. Esquecemos que para chegar lá, teve todo um percurso a ser percorrido. Queremos o resultado sem esforço. Uma fórmula que sirva para todo mundo que gere o mínimo de desconforto possível.

Observo muito meu corpo, minha maneira de pisar e como projetar o peso em movimento.

Hoje, corro 1 hora pelo

Felipe Ataíde dando uma corrida na rua em Belo Horizonte
Dando uma corrida na rua em Belo Horizonte

menos 3 vezes por semana sem nenhuma dificuldade. Nunca tive nenhuma contusão durante todo este tempo. Nunca fiz “personal” mas observo muito meu corpo, minha maneira de pisar e como projetar o peso em movimento. Quem não é muito perceptivo deve buscar esse auxílio inicial para aprender a correr corretamente e ter alguém para ajudar a cobrar o que está sendo feito.

Meu sonho atualmente é correr uma maratona (Inteirasso, de preferência!) e quem sabe um dia correr uma ultra-maratona ou prova similar. Sei que para fazer isto preciso de uma rotina de treinamentos um pouco mais intensa, mas tudo é possível, basta a gente tomar a decisão e se organizar.

Minha lição prática disso tudo é: sempre que tiver uma tarefa complexa ou difícil pela frente, eu tento dividir ela em etapas ou pedaços menores.

Minha lição prática disso tudo é: sempre que tiver uma tarefa complexa ou difícil pela frente, eu tento dividir ela em etapas ou pedaços menores para não correr o risco de olhar apenas para o final e achar que nunca conseguirei chegar lá. É muito comum quando temos uma tarefa ou projeto grande pela frente ficarmos enrolando e deixando tudo para a última hora. Entretanto, o correto é listar tudo que deve ser feito e dividir em itens. Assim conseguimos priorizar e visualizar o progresso.

Mesmo quando fico períodos sem correr – como por exemplo no período após o nascimento da minha filha em 2014 – a retomada é muito mais rápida pois a trilha a ser percorrida já é conhecida. O esforço continua o mesmo, mas a resignação da escolha feita acontece (um pouco mais) em paz. Por isto, se você for uma pessoa (como eu) que gosta de ficar pensando muito, use esta dica: comece rápido! Não estou dizendo para não fazer planejamentos, não é isso. Perceba que no início eu refleti sobre outras tentativas fracassadas e me organizei para que não me sentisse frustrado se algo não saísse como o planejado. Entretanto, é preciso sair do lugar para as coisas começarem a acontecer. Faça, erre e planeje em seguida. Faça, erre e planeje novamente. É assim que funciona.

Por isto, se você for uma pessoa (como eu) que gosta de ficar pensando muito, use esta dica: comece rápido!

No próximo post contarei um pouco mais sobre uma das minhas experiências em uma corridas de rua.


Livro contando a história do empresário e sua experiência com corrida e exercícios físicos.
Livro contando a história do empresário.

Caminhos e Escolhas

Confesso que quando comecei a ler o livro, tinha um certo preconceito e pensei que seria mais um daqueles relatos autobiográficos onde o milionário bem sucedido fala como ele é “foda” e bacana por ter chegado onde chegou. Para minha surpresa foi um livro fácil de ler, com histórias emocionantes, bem escrito e com uma humildade do autor. No final ele anexou algumas planilhas de corrida e acabei utilizando o raciocínio para me manter motivado. Já tinha tentado correr antes mas não conseguia dar continuidade. Foi justamente após ler este livro que dei o pontapé inicial.

2 comentários em “Comece a correr, ou faça qualquer outra atividade física do seu interesse, mas simplesmente comece.

  1. Felipe, também sou assim. Gosto de dividir minhas grandes metas em tarefas menores. Geralmente funciona. Lembrei de um trechinho de um texto, atribuído a Fernando de Andrade, que fala deste despertar.

    “Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos.”

    Um brinde a você que se arrisca a inúmeras travessias… ou tem um caminho marcado por muitas delas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *