Hacks de Produtividade # 1 – Aprenda a usar audiolivros e podcasts

Este é um assunto que tenho muito interesse e estou sempre pesquisando, ouvindo e lendo autores que demonstrem seus métodos e técnicas (como fazer) para aumentar sua produtividade. Talvez aí esteja o problema, estamos sempre pensando em como fazer para aumentar a produtividade e temos a ilusão de que quando fizermos mais em menos tempo ficaremos livres para fazer outra coisa. Em teoria, deveria acontecer isto mesmo: se eu gasto 2 horas para realizar uma atividade e de repente eu descubro uma técnica em que eu consigo fazer a mesma coisa mais rápido, gastando apenas 1 hora, eu passo a ter então 1 hora livre, correto? Bom, nem sempre é assim que funciona.

Minha principal dica em relação a produtividade é continuar experimentando sempre.

No nosso mundo contemporâneo, estamos sempre focados em aumentar a produtividade por aumentar a produtividade, ou seja, ao invés de ter uma hora livre, eu tenho mais trabalho logo em seguida. É lógico que, no final das contas, se consideramos tempo = dinheiro, então, fazer as coisas mais rápido é igual a mais dinheiro, certo? Sinceramente, eu não sei.

Um fato recorrente é que acabamos escutando a opinião dos “especialistas” (Especialista segundo quem? Muitos especialistas tem o título pois eles se nomearam como tal. Bom isso dá uma outra história, vamos continuar.) como verdade absoluta. Por isto, minha principal dica em relação a produtividade é continuar experimentando sempre. O que funciona melhor para uns nem sempre é a mesma metodologia que vai funcionar para outros. Cabe a nós mesmos descobrir nosso estilo pessoal e ir fazendo pequenos ajustes. É um aprendizado constante.

 

O começo

Um segredo que descobri há pelo menos uns 5 anos foi a possibilidade de escutar audiolivros ao invés de ler. Como toda ideia com a qual não estamos acostumados, inicialmente tive um grande preconceito. Achei que iria ser chato, que não seria a mesma coisa que ler um livro, “pois o livro você vê” e “com isto vai lembrar mais”.

Algumas vezes rola aquela cara, com um olhar fulminante do tipo: “Seu preguiçoso! Não consegue ler e por isto vai escutar o livrinho é?”

No fundo, tinha também um sentimento de estar fazendo algo errado, como se não fosse certo absorver ou adquirir novos conhecimentos apenas pela audição e não pela visão (leitura). Mesmo assim resolvi seguir adiante e experimentar.

biblioteca_itunes
Print de uma tela da minha biblioteca, cada vez maior!

Comecei com livros mais curtos e ligados a auto-desenvolvimento (não é auto-ajuda!). A maioria tinha em média de 6 a 8 horas de duração. No começo, eu achava aquilo uma eternidade pois comparava em relação a uma música ou video do YouTube: “Putz, vou ficar 6 horas escutando um livro, não acredito!”. Para minha surpresa foi super rápido e logo eu percebi que 6 horas de duração era o equivalente à um livro curto. Pelas minhas contas, devo ter lido entre 35 a 50 livros no último ano. Se você não acredita, considere o meu exemplo:

Imagine que você gasta 30 mins para chegar ao trabalho. Você pode ir no onibus, a pé ou no carro escutando o audiolivro. Provavelmente você também vai gastar 30 mins na volta e assim pode utilizá-los para fazer a mesma coisa. Então, com apenas 1 hora por dia e sem fazer nenhum esforço, você leu o livro em 6 dias. Não acredita? Faça o teste você mesmo. Sugiro também que você verifique se está lembrando de tudo o que escutou ou se sua memória é melhor quando você lê um livro com os olhos =) .

É interessante observar que quando digo para as pessoas que escuto audiolivros, eu observo os mesmos comportamentos e preconceitos que eu senti. Algumas vezes rola aquela cara, com um olhar fulminante do tipo: “Seu preguiçoso! Não consegue ler e por isto vai escutar o livrinho é?”. É como se escutar ao invés de olhar fosse um desenvolvimento intelectual inferior. Nestes casos, eu apenas aceito e a conversa acaba se encerrando.

Capa do audiolivro com a Biografia do Steve Jobs (versão em inglês)
Capa do audiolivro com a Biografia do Steve Jobs (versão em inglês)

Minha primeira grande vitória dos ouvidos foi quando escutei ao livro da biografia do Steve Jobs. 25 horas e 5 minutos de áudio leitura! Maravilhoso! Fiquei tão empolgado quando terminou que quase recomecei o livro logo em seguida. O autor, o Walter Isaacson é excelente! Gostei tanto da maneira como ele escreve que fui procurar outras obras e descobri, algum tempo depois, que ele também havia escrito a biografia do Albert Einstein (outro livro excelente). Nessa época eu ia para o trabalho à pé e gastava de 15 a 20 minutos para ir e 25 minutos para voltar. Ficava ansioso por aquele momento. Gastei de 3 a 4 semanas para concluir a leitura, mas tenho certeza de que se fosse papel eu teria demorado ainda mais.

 

Os podcasts

Dentro ainda desta temática, outra coisa que eu consumo muito atualmente são os podcasts. Hoje em dia, conseguimos encontrar podcasts super bem produzimos e de muito bom conteúdo. É lógico que ainda estamos bem atrás dos americanos, mas cada vez mais as audiências começam a aumentar.


Veja alguns dos podcasts mais interessantes que eu sigo:
http://www.felipeataide.com/melhores-podcasts/


Além dos podcasts, eu também costumo baixar apenas o áudio de algumas palestras no Youtube. Muitas vezes não tem necessidade de ver o vídeo pois é só um palestrante falando sobre o assunto. Utilizo um programa que se chama 4K Video Downloader. Ele é simples mas funciona muito bem. Depois de baixar o arquivo em áudio, coloco em um pasta do meu telefone.

Aplicativo para escutar os audiolivros e podcasts com a opção de controlar as velocidades
Aplicativo para escutar os audiolivros e podcasts com a opção de controlar as velocidades

Bom, uma última dica para os mais avançados é escutar o áudio acelerado. Mais uma vez a mesma história: no início, preconceito e críticas. Em seguida aquela sensação de descoberta de como nosso cérebro é capaz de se adaptar e conseguir compreender tudo, mesmo numa velocidade mais rápida. No meu caso, descobri um aplicativo para Android (Smart AudioBook Player) que possibilita escolher frações (ex: 1,6x, etc.) intermediárias e não deixar o áudio ficar esquisito (com aquela voz fininha e acelerada). Resultado: já estou tão acostumado a escutar acelerado, que quando escuto o áudio normal, parece que ele está em câmera lenta.

 

Resultado

Gostaria de terminar contando uma história engraçada. Outro dia eu estava assistindo a um colega professor em uma palestra e ele falava um pouco devagar pois estava tentando articular seu pensamento sobre um tópico. Foi então que me percebi tentando acelerar o discurso dele na minha cabeça. Parecia que ele estava falando em câmera lenta. Quando ele começava uma frase eu já estava concluindo o que ia dizer. O pior é que ele ainda repetia o que falou 2 ou 3 vezes (um vício de linguagem e de articulação do pensamento muito comum). Parecia quando conversamos com alguém que tem gagueira, sabe? Só que ele não era gago, estava falando normal, eu é quem estava acelerado!

mr_beanO que acontece nesses casos é que o nosso pensamento é muito mais rápido do que a nossa fala. Pode parecer óbvio, mas todo o nosso sistema de ensino e aprendizagem não leva isto em conta e forçamos os alunos a aprenderem num ritmo muito mais lento do que são capazes. Não acredita? Faça um teste no video abaixo. Dê play no vídeo e em seguida clique no ícone da engrenagem (ajustes) e em velocidade coloque 1.5x ou mais. Eu sei, você deve estar pensando: “Mas aí vai ficar muito rápido.” Não se preocupe. Tente prestar atenção durante 1 minuto. Em seguida, diminua a velocidade para um nível abaixo. E aí, como foi? Pareceu normal agora? Curtiu? Deixe um comentário aqui abaixo me contando sua história.

 

Vídeo com uma palestra falando do maravilhoso livro A Guerra da Arte do Steven Pressfield.
Vale a pena ouvir e ler o livro também.

Um comentário em “Hacks de Produtividade # 1 – Aprenda a usar audiolivros e podcasts

  1. Felipe, o que eu mais adoro em você é o fato de ser um ser cheio de curiosidade. Alguns de seus relatos falam de meditação e de como silenciar a mente. Outros, de como acelerar as conexões neurais. Nesse meio tempo, você tanto tem pique pra acompanhar os mais agitados quanto se acomoda e sabe pisar no freio para ouvir o outro extremo. Essa versatilidade é rara. Siga na sua busca porque está produzindo bons resultados. Eu já sigo a linha Detox. Vou ingerindo (e digerindo) uma quantidade considerável de informação apenas porque sou professora. Mas o meu natural é mais contemplativo mesmo. Beijos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *